07 maio 2016

Restauração

O amor passeava pela cidade, triste e desanimado. O motivo de sua tristeza se devia ao fato das pessoas cada vez mais estarem perdidas e cada vez mais se perdendo.

Senta-se em um banco numa praça qualquer e começa a lamentar:

- Olha que horror, pais sem tempo para seus filhos deixando-os jogados à marginalidade. Filhos matando os pais, matando seu próximo, matando a dignidade de pessoas trabalhadoras. Matando...

06 maio 2016

Julieta do Século XXI

Uma mão, uma flor, uma lágrima...

Que se encontram com um sorriso. Duas pessoas. A carta e apenas um desejo: ficarem juntos. Carta método antigo, mas tornou-se a única forma de comunicação entre eles, pois seu computador está sendo vigiado por seus pais. 

Júlia suspira, e se inebria com o cheiro da rosa, que em um dia de um momento de loucura, Ruan começou a gritar como um desvairado por Júlia. No mesmo momento em que ela aparece na janela e sorri, mas o momento é estragado com um balde de água fria e várias ameaças do pai de Júlia. Enquanto as ameaças escorriam como uma cascata, um amigo de Ruan joga uma bolsa, e Júlia rapidamente esconde, enquanto o pai dela punha os invasores para correrem e vinha dar aquele sermão:

03 maio 2016

Carta de um Soldado


Visto que sigo meus vagarosos passos para a minha sepultura, me vejo por fim, na mais humilde obrigação de expor meus singelos sentimentos em forma de carta. Começo pelo fim, visando meu estado de saúde, que definha para um negro abismo, estou acamado, a espera da minha ida sem volta. Me encontro em um hospital que abriga velhos soldados de guerra, velhos conhecidos de lutas, perdas e grandes vitórias. Grandes pessoas que ao se agacharem se tornaram pequenos, mas as causas que os mesmos lutaram os engrandeceram.

Tempo


Me aconcheguei no teu abraço
Me vi presa em seus laços
Em um grande espaço
Me vi esquecida no acaso...
Movendo a areia do tempo
Correndo contra o vento
Vi você longe sem alento
Me pedindo atento
O que você a tempos,
Me negou a cada momento.
Ah, o tempo...

02 maio 2016

23:20














23:20; Segunda, 16 de Fevereiro de 2015

As luzes se apagam...

Mariana tateia nervosa a sua cômoda a procura do seu telefone – relutante, e em um vai e vem constante, tenta achar seu celular para que haja alguma luz. Por fim acha e em um suspiro nervoso após ouvir vários sussurros abafados, acende a lanterna do seu telefone e em um movimento rápido algo passa em frente seu quarto que se encontra com a porta entreaberta. Coração Acelera.

01 maio 2016

Ilustrações em Vida


As linhas tortas da vida que eu mesmo tracei me mostram o quanto andei entre interrogações e exclamações. E foram nessas dúvidas e certezas que te perdi, dando reticências a minha tristeza...
E se de fato eu olhar para o horizonte e não avistar o seu olhar sobre mim, verei que emfim terei que repassar suas duras palavras em minha mente: As vozes alteradas, o seu "Já chega, não aguento mais!", suas lágrimas; A porta que você bateu com tanta força, ainda ecoa pela nossa casa, "nossa casa", a nossa vida, o nosso amor...

"E por acasos da vida, se finda a linda vida que nós ilustramos em ter..."